Conheça 10 curiosidades sobre o azeite de oliva

Compartilhe

O azeite é um ingrediente essencial em cozinhas de todo o mundo, tão antigo quanto a própria humanidade – mas ainda existem muitas curiosidades sobre o azeite de oliva que nem todo mundo conhece.

Existem muitas curiosidades sobre o azeite que ainda são desconhecidas do grande público.
Existem muitas curiosidades sobre o azeite que ainda são desconhecidas do grande público.

O que você, que acompanha e consome o Olibi, já sabe com certeza é que a versão extravirgem é a melhor opção para o consumo, com muitas propriedades benéficas para a saúde. Você também já viu por aqui sobre seu papel na prevenção de doenças do coração e do seu papel antioxidante.

Mas agora queremos ir mais longe e compartilhar com vocês dez curiosidades sobre este “ouro líquido” que talvez sejam desconhecidas até agora e que farão com que você aprecie seu Olibi ainda mais. Então siga na leitura e saiba mais!

1) Sua origem é desconhecida

Uma das grandes curiosidades sobre o azeite de oliva é de fato a sua origem em nosso planeta.

Especialistas acreditam que o cultivo de oliveiras é um dos mais antigos da história – ainda no final do período Neolítico (5000 – 3500 a.C.).

Há também uma menção ao azeite no Código de Hamurabi, o conjunto de leis regidas na Mesopotâmia, datado de 2.500 a.C.

Já a Bíblia traz mais de 300 referências sobre azeite e oliveiras – acredita-se que o ramo de oliveira carregado pela pomba de Noé fosse de uma oliveira, assim como a árvore que cresceu no túmulo de Adão.

2) As oliveiras dão frutos por muitos e muitos anos

A oliveira mais antiga do mundo está em Creta, na Grécia: é a Oliveira Monumental de Vouves, com 3 a 5 mil anos. Seu tronco possui 12,50 m de circunferência e um diâmetro de 4,60 m.

Outra oliveira pra lá de secular fica em Abrantes, uma pequena vila de 1,5 mil habitantes em Portugal. É lá que Mouchão – a “eterna oliveira” – repousa tranquilamente. Ela tem 3.353 anos – e também continua a dar azeitonas!

3) Um presente de deusa grega

Por falar em culturas antigas, a cidade grega de Atenas deve o seu nome à deusa que a protegia, Atenas – mas também às oliveiras.

Os atenienses a escolheram após uma espécie de competição entre os deuses: para conquistar a simpatia deles, Atenas ofereceu-lhes uma oliveira da qual poderiam obter lenha, fogo para se iluminar e comida.

O povo de Atenas viu como o presente era magnífico e escolheu Atena para representá-los.

4) O azeite de oliva também pode ser um remédio

O azeite já foi usado como medicação entre os povos antigos. Habitantes da Mesopotâmia, há mais de 6 mil anos, apostavam no azeite como uma forma de se proteger do frio e de se preparar para a batalha.

Mas sua ingestão tem se mostrado muito eficaz na prevenção e combate de doenças como câncer de colorretal, males cardíacos, síndromes metabólicas, diabetes tipo 2, Alzheimer, artrite e até a obesidade – saiba mais aqui.

5) Brasil produz azeite desde os tempos de colônia

Entre as grandes curiosidades sobre azeite de oliva que poucas pessoas conhecem está o início de sua produção no Brasil. Ao contrário do que sempre foi dito, a olivicultura não é nada recente em solo brasileiro.

Em Aiuruoca, por exemplo, documentos comprovaram que existia uma produção de azeite durante o período do Brasil Império.

Pequenos olivais extraíam um óleo puro e saboroso – até que a notícia chegou aos ouvidos da corte portuguesa. Sem querer enfrentar uma possível concorrência, a família real decretou que todas as árvores fossem cortadas – e ainda espalhou boatos sobre a infertilidade das terras brasileiras para as oliveiras.

O resultado disso é que o Brasil se tornou o maior importador de azeite português e até hoje muita gente acredita que nosso país não tem capacidade para ter um bom azeite para chamar de seu.

Essa história começou a mudar nos anos 1940 e hoje conta com uma produção em franca expansão nos estados do Sul do país e na Serra da Mantiqueira, em Minas Gerais.

Contrariando a própria história, o país tem a geografia necessária para competir com os melhores produtores do mundo.

6) Azeitonas de qualidade são escolhidas à mão

Outra das curiosidades sobre o azeite de oliva está na influência da colheita sobre a qualidade do azeite. A verdade é que o azeite premium não é produzido com processos mecanizados.

Aqui na Olibi, por exemplo, utilizamos a técnica ‘a mano con telo’, também conhecido como “à mão com uma rede”. Este método utiliza uma rede e um ancinho longo para fazer as azeitonas caírem na rede.

A colheita cuidadosa ajuda a garantir um azeite de qualidade, como o Olibi.
A colheita cuidadosa ajuda a garantir um azeite de qualidade, como o Olibi.

7) É preciso muita azeitona para pouco azeite

Para produzir um litro de azeite extravirgem artesanal é necessário “prensar” entre 7 e 10 quilos de olivas.

Como uma oliveira de 10 anos costuma produzir em média 20 quilos, cada árvore rende entre 2 e 3 litros por ano. No Brasil, a colheita costuma ser realizada entre os meses de fevereiro e março.

8) É possível encontrar azeite em cores diferentes

A cor do azeite pode variar de acordo com uma série de questões – e esse não é um fator determinante para a sua qualidade, uma das curiosidades sobre azeite de oliva que muita gente tem.

É possível encontrar uma gama de cores, que vai do amarelo claro ao dourado profundo e ao verde. Quanto mais clorofila estiver presente no óleo, mais verde será o produto. Os óleos verdes tendem a ter mais antioxidantes e um sabor apimentado mais intenso, com apenas um toque de amargor.

9) Fritura com azeite de oliva: é possível

Se precisássemos apontar a principal entre as curiosidades sobre o azeite de oliva, sem dúvida seria a sua relação com a fritura.

A maioria das pessoas alerta para o ponto de fumaça mais baixo do azeite em comparação com o óleo de canola ou milho, que são usados com mais frequência para fritar.

No entanto, o azeite tem um ponto de fumaça entre 190 e 200ºC, o que o torna adequado para frituras e cocção.

10) Tem oliveira até no espaço!

A missão da Apollo 11, que ocorreu em 1969, levou mais do que os primeiros homens à Lua: levou também um ramo de oliveira para o espaço.

Entre as curiosidades sobre o azeite está o ramo de oliveira, símbolo mundial da paz.
Entre as curiosidades sobre o azeite está o ramo de oliveira, símbolo mundial da paz.

Durante seu breve passeio em solo lunar, o astronauta Neil Armstrong escolheu deixar por lá um ramo de oliveira – considerado um símbolo mundial de paz.

Por isso, o único ser vivo (que nós conhecemos) que habita a lua é um ramo de oliveira. Esse fato histórico foi narrado no livro “Neil Armstrong: A biografia essencial do primeiro homem a pisar na Lua“, de Jay Barbree.


E então, quantas destas curiosidades sobre azeite de oliva você já conhecia? Compartilhe com a gente aqui nos comentários!


Compartilhe
No Comments

Post A Comment