Validade do azeite: entenda como essa informação influi na qualidade do produto

Compartilhe

A validade do azeite é sempre uma das principais dúvidas que recebemos de nossos clientes, parceiros e revendedores. Afinal, depois de quanto tempo aberto em sua casa o seu azeite perde o frescor e o sabor? E o que fazer com ele depois disso?

A validade do azeite depende de uma série de fatores – e a forma como você o conserva influi diretamente nessa informação.

A validade do azeite depende de uma série de fatores - e a forma como você o conserva influi diretamente nessa informação.
A validade do azeite pode fazer a diferença em suas receitas.

Se você chegou até aqui buscando a resposta para essa pergunta, esse artigo foi feito para você – então siga na leitura e saiba mais.

Como a validade do azeite funciona?

Como regra geral, uma garrafa de azeite comprada no supermercado ou empório pode durar dois anos, contados a partir da data da extração.

Mas os azeites são todos únicos e seus prazos de validade variam de acordo com a sua qualidade, onde e quando foram colhidos, como são extraídos, como são armazenados e, sobretudo, dependem da variedade das olivas utilizadas em seu preparo.

Verifique as datas de envase e validade no rótulo

Sua melhor aposta para determinar a validade do azeite, seja o que foi comprado nas férias em Lisboa no ano passado ou naquele seu empório preferido, é avaliar as datas de envase e validade. As marcas mais conceituadas incluem essas datas em algum lugar da embalagem.

Você pode encontrar o ano da safra, o lote, a data de envase e a validade do seu Olibi na parte debaixo do rótulo.

As recomendações sobre a validade do azeite variam de acordo com o fabricante. Muitos produtores listam uma data de validade em torno de dois anos a partir da data da colheita, mas alguns azeites podem começar a oxidar dentro de um ano após a colheita.

Embora essa data seja uma ótima diretriz, a melhor maneira de saber se o azeite ainda está dentro da validade é através de seu próprio olfato e paladar.

Entender como e por que o azeite estraga – e treinar o seu paladar para entender melhor sua qualidade – pode ajudá-lo a se tornar um consumidor mais exigente e até um cozinheiro gourmet! Encontre algumas respostas no próximo tópico.

A resposta está na química!

O azeite estraga justamente pelos mesmos componentes que o tornam tão bom para a saúde: os antioxidantes, que possuem componentes como vitamina E e polifenóis, que nos ajudam a eliminar os radicais livres.

Isso significa que eles processam as moléculas de oxigênio que se quebram em átomos individuais e que, se não forem controlados, podem causar danos às células.

Embora eles possam ajudar a manter nossa saúde por mais tempo, os antioxidantes em si não vivem para sempre: após um certo período, eles começarão a oxidar ou se decompor – especialmente quando são expostos à luz e ao ar.

É por isso que a recomendação dos especialistas é optar por azeites embalados em vidro escuro, cerâmica ou lata. E armazenar sempre em locais sem umidade, luz ou calor em excesso.

Como saber se o azeite estragou?

O primeiro indicativo é o sabor: o azeite estragado terá um gosto desagradável. Esse sabor é diferente, aliás, de um azeite com picância – seja suave ou acentuada.

Enquanto o azeite fresco de boa qualidade pode chiar no palato, como uma pitada de pimenta no fundo da garganta, o azeite que passou do ponto e ficou rançoso carrega notas que lembram mais as batatas fritas que passaram tempo demais na fritadeira – e estragaram.

Como garantir a validade do azeite por mais tempo?

Para manter seu azeite por mais tempo, é preciso guardá-lo sempre bem tampado, protegido da luz, de temperaturas muito altas e longe de odores fortes que possam ser absorvidos. Por isso, tenha cuidado ao guardar seu azeite perto dos temperos.

Também é importante manter o seu azeite longe de fontes de calor, como fogões ou fornos. Outro cuidado importante é abrir o produto de acordo com o seu consumo, para evitar que a garrafa fique aberta por longos períodos e sofra com a oxidação natural.

Qualidade também influencia na validade do azeite

Outra forma de prolongar a vida útil do seu azeite e garantir que você tenha a melhor experiência de sabor é escolher qualidade em primeiro lugar. Por isso opte por azeites de baixa acidez – de 0,09%, como é o caso do Olibi.

Azeites produzidos em regiões próximas, que passaram menos tempo sendo transportados e armazenados do que os importados, também podem garantir o frescor por mais tempo.

O Olibi, por exemplo, é produzido em Aiuruoca, no Sul de Minas Gerais, bem em meio à Serra da Mantiqueira. Ou seja: está a poucas horas de distância dos grandes centros (e da sua casa). Inclusive, nossa fazenda abriga um projeto ambiental que já recebeu o Prêmio Eco 2017 – clique para saber mais

Quem visita Aiuruoca volta sempre bem-acompanhado: além de azeites de altíssimo padrão, a região também produz queijos, geleias, cervejas e outros produtos de alta qualidade.

Agora você já sabe como a validade do azeite funciona!

Para saber mais sobre azeite, conferir outras dicas e receitas, siga a Olibi também nas redes sociais.


Compartilhe
No Comments

Post A Comment