Estação meteorológica no olival antecipa resultado da próxima safra

Estação meteorológica no olival

O clima é uma das variáveis mais importantes na olivicultura e influencia diretamente na quantidade e na qualidade da azeitona e, como consequência, do azeite. Além de todo o cuidado que temos em nosso olival, o que inclui até acupuntura, adotamos outra técnica que nos permite ter informações de mais qualidade para entendermos o que as plantas precisam em cada momento.

Em novembro de 2014, instalamos uma estação meteorológica no meio do olival, que detecta se as condições climáticas da região são favoráveis ou limitantes. Assim, conseguimos prever como será a produtividade da próxima safra e tomar decisões baseadas em gráficos reais sobre o clima da nossa latitude e longitude.

Estação meteorológica no olival

Por meio de sensores eletrônicos, a estação mede as variações de diversos fatores externos como a temperatura do ar, a velocidade e a direção do vento, a quantidade de chuva e a umidade. A cada duas semanas extraímos os dados e analisamos o que pode ser feito para reverter algum desequilíbrio natural, como irrigar mais e combater pragas.

O olivicultor Nélio Weiss explica que os dois índices mais importantes são os de chuva e temperatura. “Para uma boa florada, a oliveira precisa de uma determinada quantidade de dias com frio abaixo de 10 graus”, explica. “Se a curva me mostra que não estamos alcançando essa meta, já sabemos de antemão que a safra será menor do que a anterior, por exemplo.”

No caso do pluviômetro, a medição leva a ações práticas. “Se o índice de chuva cair muito nos meses de julho e agosto, sabemos que temos que irrigar as plantas”, comenta. “E, se vejo muitas folhas caídas no chão, posso verificar se ventou acima de média. Se não for o caso, talvez a árvore esteja com alguma doença.”

Estação meteorológica no olival

Além de orientar nosso dia a dia, a estação nos fornece um comparativo com períodos anteriores, sejam anos ou meses. Podemos saber que este ano de 2019 já tem um acumulado de chuva parecido com o anterior, mas com uma melhor distribuição. Os anos de 2015 e 2016, porém, tiveram índice pluviométrico mais alto. A quantidade de frio repete esse padrão: semelhante ao ano passado e abaixo de anos anteriores.

Tudo indica que a safra de 2020 resultará em azeites de alta qualidade semelhantes à deste ano. Quem provou e gostou do último lote Olibi, já pode se preparar!

No Comments

Post A Comment