É verdade que azeites brasileiros são mais caros?

Azeites Olibi prontos para consumo

O cultivo de oliveiras no Brasil para produção de azeites começou há apenas uma década. Como as árvores levam cerca de seis anos para atingir uma produção mais madura, a primeira safra de azeites é recente. No nosso caso, a próxima colheita, que acontecerá entre os meses de fevereiro e março de 2019, dará origem à terceira safra comercial. Logo depois da extração lançaremos o azeite extravirgem artesanal Novello, um produto fresquíssimo e mais encorpado que não passa pelo processo de filtragem. Dois meses depois, entra em cena nosso azeite extravirgem artesanal premium Olibi.

O valor da garrafa de 250ml é 45 reais. Se olharmos para outros azeites brasileiros, veremos que o preço também fica nessa faixa, entre 40 e 50 reais por 250ml. Há quem questione por que um produto nacional, que não passa pelo trâmite de importação, não chega ao consumidor por um valor mais baixo.

A resposta mais simples é a de que, assim como não podemos comparar a qualidade de um vinho de garrafão com uma safra exclusiva de vinhas centenárias, ou uma cerveja artesanal puro malte com uma popular, também não podemos comparar um azeite de alta qualidade de um pequeno produtor com um azeite de uma grande marca que sequer tem seu próprio olival.

azeite x vinho

“São produtos totalmente diferentes”, explica Paulo Freitas, sommelier e degustador profissional. “Mesmo que os dois azeites sejam extravirgem e cumpram os parâmetros sensoriais e de acidez inferior a 0,8%, o sabor e o aroma do azeite de um pequeno produtor são superiores ao azeite de uma marca comercial que produz em grande escala, mesmo que seja grega ou portuguesa.”

Já a resposta mais detalhada mostra um pouco dos bastidores do nosso trabalho. Adubamos e podamos frequentemente os olivais até a época da colheita. Colhemos os frutos manualmente e selecionamos apenas das azeitonas verdes, o que diminui o volume da produção, porém, aumenta a qualidade.

Extraímos o azeite no mesmo dia da colheita, garantindo mais saúde com altos níveis de polifenóis e alcançando um produto com menos de 0,1% de acidez. Realizamos uma dupla filtragem para retirar qualquer tipo de impureza. Na etapa final, o azeite é envasado manualmente em garrafas esterilizadas na autoclave a uma temperatura de 170 graus.

O resultado é um azeite fresco, que não percorre longas distâncias até chegar à nossa mesa.

processos de colheita da azeitona

Todo esse trabalho acontece em uma fazenda integrada com o meio ambiente. Quem conhece a nossa história sabe que decidimos plantar oliveiras para ajudar no financiamento das ações de reflorestamento de Mata Atlântica e de cuidado e soltura de aves resgatadas do tráfico e de maus-tratos.

Temos passeios guiados pelo olival e pelos projetos ambientais todos os sábados, às 10h. A colheita também recebe visitantes interessados em acompanhar o processo de perto.

projetos ambientais na Olibi

Esse frescor e alto rigor na colheita, na extração e no envase garantem qualidade e sabor superiores, o que leva um azeite artesanal premium a custar mais caro do que marcas comerciais básicas, independentemente do país de origem. Vale lembrar que, mesmo não tendo as taxas de importação, os tributos nacionais equivalem a cerca de 28% do valor do nosso produto – ou seja, quase R$ 13,00 são destinados apenas para cobrir os impostos.

Nosso rigor não está apenas na colheita. Importamos nossas garrafas da premiada Vetreria Etrusca, em Florença, na Itália. Um dos destaques do material é ser feito de vidro escuro e espesso, o que protege o azeite da influência da luminosidade e do calor.

Loja Rua do Alecrim(Foto: Rua do Alecrim)

Outra referência interessante: azeites estrangeiros premiados e de alta qualidade, como os espanhóis Venta Del Baron e Oro del Desierto e o italiano Laudemio, chegam às prateleiras por valores que superam – e muito – os azeites brasileiros. O primeiro custa R$ 195,00 a garrafa de 500ml, o segundo custa R$ 129,00. Já o italiano pode ser encontrado em algumas lojas de São Paulo por até R$ 200,00.

Há muitas variáveis que interferem no preço de um azeite. Na hora de escolher um bom azeite, preste atenção em fatores como a história daquele produtor, a data de envase, a distância percorrida para o produto chegar até àquele local, o percentual de acidez e, claro, seu sabor e aroma – algo que você descobrirá a medida em que degustar novos rótulos.

1Comment
  • Rogério
    Posted at 08:22h, 23 outubro Responder

    Alem dos custos de impostos, existe o frete caríssimo cobrado pelo Correio que inviabiliza a compra.
    Uma pena.
    Rogério

Post A Comment