Quantos tipos de azeitonas têm no azeite Olibi?

variedade da azeitona Olibi

Azeite suave, frutado, amargo ou picante. Notas de grama cortada, nozes ou maçã. Cada azeite tem aroma e sabor característicos, dependendo do solo e do clima onde as oliveiras foram plantadas, da qualidade no processo de colheita, extração e envase, e da variedade da azeitona.

Um azeite monovarietal, por exemplo, utiliza apenas um tipo de azeitona. Já os blends misturam mais de uma variedade do fruto, a fim de criar uma receita única que expressa as qualidades de cada azeitona de forma harmônica.

Um dado curioso é que existem azeitonas com perfis muito diferentes entre si: umas são mais produtivas para extrair azeite, outras têm mais picância e há aquelas com polpa mais suculenta, perfeitas para a produção das conservas. É por isso que a maioria dos olivais no Brasil e no mundo tem mais de um tipo de oliveira plantado.

Nosso azeite de oliva extravirgem artesanal Olibi é um blend que pode conter até seis variedades de azeitonas que se adaptaram bem ao clima e ao solo das montanhas da Serra da Mantiqueira: Arbequina, Arbosana, Koroneiki, Grappolo, Coratina e Maria da Fé. As diferentes combinações dessas variedades permitem a elaboração de um produto intenso, fresco, frutado e com picância persistente, com qualidades sensoriais típicas dos melhores do mundo.

tipos de azeitona do azeite Olibi

Descubra as características de cada variedade e como cada azeitona interfere no sabor do nosso azeite (e também das nossas conservas!).

Arbequina

Azeitona espanhola de alta produtividade que se adaptou muito bem ao clima e ao solo brasileiro. É a mais cultivada no país, representando de 50 a 70% das oliveiras plantadas nas principais regiões produtoras: Minas Gerais, São Paulo e Rio Grande do Sul.

Os azeites são de frutado suave, maduros, frescos, com notas de tomate, maçã verde, banana e amêndoas. Apresenta pouca picância e quase nenhum amargor.

Arbosana

Mais uma variedade espanhola, resistente ao frio, bastante cultivada no Rio Grande do Sul. Os frutos resultam em azeites de frutado médio, verdes, com notas herbáceas e amendoadas, com toque de tomate maduro. Tem amargor leve para moderado e agradável picância.

Koroneiki

Essa azeitona representa de 50 a 60% das oliveiras plantadas na Grécia. No azeite, traz um toque frutado médio para intenso, verde, fresco, com notas herbáceas e de grama cortada.  Apresenta amargo e picância marcantes.

Grappolo

Originária da Toscana, na Itália, a Grappolo é uma das últimas do nosso olival a florescer. A azeitona é cultivada principalmente aqui em Minas Gerais, representando cerca de 20% dos olivais do estado.

O azeite tem frutado médio para intenso, verde, notas de fruta verde, folhas, tomate, amêndoas e alcachofras, com picância persistente e amargor médio.

Coratina

A azeitona italiana da cidade de Corato ainda não é plantada em muitos olivais brasileiros. Nós gostamos do resultado dessa azeitona, cuja característica mais marcante é a persistência do picante. O azeite costuma apresentar frutado intenso, verde, amargo intenso, notas de vegetais, ervas, grama cortada, verduras, amêndoas verde e maçã verde.

Maria da Fé

A cidade do Sul de Minas Gerais é pioneira na produção de azeites no Brasil. Trabalhos e estudos realizados pela Epamig (Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas) deram origem a primeira variedade brasileira, registrada em 2008. O fruto batizado de Maria da Fé é resultado do melhoramento da galega portuguesa. As principais características dessa azeitona brasileira são frutado suave, maduro, com notas de nozes e frutos secos, além de pouco amargo e picância.

 Ascolana, a preferida das conservas

Com pouco óleo e polpa suculenta, esta azeitona italiana é perfeita para virar conserva. No preparo Olibi, utilizamos apenas água e sal marinho, devido ao menor nível de iodo – ou seja, nada de tratamento com soda cáustica para deixar o fruto lisinho e perfeito.

suculentas azeitonas em conserva Olibi

No Comments

Post A Comment