Olibi no Domingo Espetacular: Brasil comemora dez anos do plantio de oliveiras

No último domingo, dia 1 de abril, o programa Domingo Espetacular veiculou uma reportagem especial sobre a produção de azeite extravirgem brasileiro. A paisagem com oliveiras a perder de vista, antes tão associada aos países europeus do Mediterrâneo, começa a ser cada vez mais comum no Brasil. Apenas na Serra da Mantiqueira, onde a equipe da TV Record gravou as entrevistas, são 160 produtores.

Duas fazendas receberam a visita da reportagem – e nós fomos uma delas. Além de ser uma alegria ver nosso trabalho reconhecido, veio um sentimento de nostalgia, nos levando para o dia em que plantamos a primeira muda de oliveira, em 2011. Foi aqui em Aiuruoca que encontramos as condições ideais para o plantio. Hoje, já estamos colhendo bons frutos: muitos quilos de azeitonas e litros de azeite fresco, tudo 100% nacional.

Ainda há muito espaço para crescer. Segundo disse Arnaldo Comin, proprietário da Rua do Alecrim, loja em São Paulo, os brasileiros consomem 80 milhões de litros de azeite por ano. Enquanto isso, o país produz apenas 80 mil litros de azeite por ano. Isso nos motiva muito – e também inspira outros produtores brasileiros, que se lançaram na olivicultura, principalmente aqui em Minas Gerais e também em São Paulo e no Rio Grande do Sul.

Contrariando qualquer ideia conservadora, consumidores e especialistas estão descobrindo que azeite brasileiro é, sim, muito bom. Tem frescor e aroma frutado, é levemente amargo e apresenta uma picância que o distingue dos produtos vindos de outras regiões. E também há outras formas de aproveitar os frutos da oliveira. “Nosso objetivo é produzir tudo o que possa se derivar do cultivo da azeitona, como a conserva e os cosméticos”, disse proprietário da Olibi, Nélio Weiss, ao programa Domingo Espetacular.

Nosso investimento no meio ambiente

A ideia de apostar na olivicultura nasceu de um outro projeto, muito maior, de recuperação e preservação da Mata Atlântica e de aves resgatadas do tráfico ou ameaçadas de extinção. Inclusive, a reportagem gravou a soltura de duas aves que receberam cuidados nos nossos viveiros e agora já estavam aptas e saudáveis para voltarem ao seu meio ambiente.

O investimento no plantio das oliveiras surgiu como uma alternativa sustentável – uma vez que a árvore não agride o solo e frutifica por muitos séculos –, que nos permitiria financiar nossas iniciativas ambientais. Além disso, criamos o projeto Adote uma Oliveira, para que outras pessoas possam apoiar essas iniciativas.

A inserção da olivicultura em uma área restaurada fez toda a diferença para a Olibi. Graças ao bioma e ao microclima controlados, produzimos um azeite extravirgem com acidez inferior a 0,1% e, no último ano, nossa produtividade ficou 30% acima da média nacional. Fatores que indicam a excelente qualidade do fruto que produzimos na Olibi.

Esse pioneirismo de aliar uma atividade agrícola com a proteção ambiental também nos rendeu a conquista do prêmio ECO de Sustentabilidade 2017, um dos mais importantes selos de sustentabilidade empresarial, lançado em 1982. Desde então, o prêmio ECO reconhece as empresas que mais se destacaram na missão de combinar seu negócio com práticas inovadoras de sustentabilidade.

Vamos além, sempre buscando a excelência e o melhor cuidado com o meio ambiente e com o plantio das oliveiras. Aqui na fazenda, por exemplo, separamos cerca de 200 árvores para receber um experimento com acupuntura. Com base em estudos da Associação Brasileira de Acupuntura, aplicamos a técnica terapêutica das agulhas nas intersecções de cada um dos galhos, para melhorar a saúde da planta e estimular seu crescimento e frutificação.

No Comments

Post A Comment